Palavra Mágica: onde ensinar significa aprender – Por Sheila Jacob

Quem conhece o curso Palavra Mágica sabe como é difícil definir tudo o que ele representa para os alunos, pais e professores que já passaram, ou que ainda passam, por ele. Para tentar compreendê-lo, é importante saber que é muito mais do que o ensino de como fazer uma redação ou de como interpretar um texto. O Palavra Mágica tem um compromisso com o desenvolvimento de habilidades que levam ao aprimoramento em linguagem, mas a filosofia do curso compreende que a sala de aula nos permite ir muito além disso, contribuindo para uma formação mais completa de nossos alunos. Isso inclui o amadurecimento emocional, o estímulo à socialização e, principalmente, o desenvolvimento, ou a devolução, da confiança em si mesmo.

O Palavra Mágica tem a ver com o desenvolvimento da escrita e da expressão oral; com a troca de informações culturais; com o despertar do interesse pela leitura; e muito mais. Para nós, professores, é muito prazeroso estar em um lugar como esse, pois é onde batalhamos para criar um ambiente familiar e confortável. É onde, ao invés de se estimular a individualidade e a competitividade, procuramos criar e estreitar laços de afeto e amizade. É onde podemos trabalhar com a língua portuguesa com diversão e carinho, cuidando para que nosso aluno se sinta acolhido e à vontade para se expressar de forma autêntica e madura. É onde ensinamos com prazer. É onde estimulamos o orgulho de saber escrever e incentivamos a perder o medo da folha em branco. É onde mostramos como as letras e as palavras se abrem para uma infinitude de possibilidades, e os caminhos do texto são livres para ser construídos por cada um, entendendo que é possível respeitar as normas gramaticais com criatividade e liberdade.

É para que tudo isso funcione que nossas turmas são reduzidas e o nosso material não é padronizado, sendo preparado por nossa equipe de professores de acordo com o desenvolvimento das turmas e o andamento dos projetos. O aluno não é passivo, não é receptáculo de nossas ideias; mesmo que muitas vezes ele não saiba, é parte fundamental da construção de nosso trabalho.

É no Palavra Mágica que nós, professores, percebemos que a verdadeira educação não significa repetição de conteúdos nem imposição de regras, mas sim respeito pelas ideias do outro e uma troca sempre constante. É onde percebemos que ensinar tem tudo a ver com aprender e é onde podemos crescer também, junto com nossos alunos.

print